• Hrestart

Dia Global do Empreendedorismo Feminino!


Ano 1991, inverno, dia muito frio em Cachoeirinha, cidadezinha que cresci, próxima à capital Porto Alegre. Eu tinha 13 anos, um irmão pequeno de apenas 6 anos e dois pais desempregados lutando diariamente para nos alimentar e manter algum estabilidade dentro de casa.


Como toda adolescente eu era cheia de energia e sonhos, adorava fazer todo e qualquer tipo de esporte especialmente os coletivos como voleibol (naquela época não existia a figura do líbero, e tamanho influenciava muito kkkk), adorava ler literaturas e ajudar a tia da biblioteca da escola com os empréstimos dos livros, me divertia sendo a líder da sala de aula, amava dançar e declamar nos CTGs - Centros de Tradições Gaúchas e ir pra balada com os amigos.


Mas como continuar vivendo e curtindo minha adolescência tendo que assistir meus pais passarem pela pior situação? Acho que foi neste momento que tive meu primeiro momento como empreendedora, mesmo sem saber. Tive a iniciativa de procurar um emprego, pesquisei em jornais e logo encontrei uma escola de informática chamada Q.I que precisava de uma estagiária de recepcionista. Eu era muito autoconfiante, tinha certeza que o estágio seria meu, e assim foi. Fui selecionada e comecei meu primeiro estágio (praticamente um emprego) e aos 13 anos pude ajudar, mesmo que com muito pouco, minha família.


Muito sonhadora, outra característica empreendedora, queria trabalhar em uma grande empresa. Queria aprender muito, crescer profissionalmente e dar uma condição de vida melhor pra minha família. Foi aí que aos 16 anos iniciei estágio na área de Recrutamento e Seleção da Renner Dupont. Foi meu primeiro contato com Recursos Humanos. A partir daí iniciei oficialmente minha carreira em RH, passando por praticamente todos seus subsistemas durante meus 24 anos de experiência, sendo 20 anos deste período na Ipiranga, onde construí toda minha base como gestora e líder de equipe.


Sempre fui muito ligada em tecnologia, não à toa fiz formação técnica em Processamento de Dados quando adolescente, então em todo meu período em RH sempre busquei automatizar processos fazendo sempre mais com menos. Mas chegou um momento em que comecei a me questionar do que realmente eu gostava, se era T.I, RH ou qualquer outra coisa que não tivesse relação com minha atividade e que eu ainda não havia descoberto. Passei muito tempo me questionando, fiz muita terapia, e o ambiente e as atividades que eu exerci nos últimos 5 anos já não faziam mais sentido pra mim, me sentia um corpo estranho, estava adoecendo, me sentia infeliz e completamente apagada, sem brilho, sem luz.


Em 2018, numa quarta-feira de maio, totalmente por acaso, eu e meu sócio conhecemos a aceleradora Fábrica de Startups Brasil poucos dias antes de encerrar a seleção de Startups para o programa de Aceleração do We Work Labs em parceria com a Fábrica. Pensamos, porque não ? Afinal o não nós já temos. Nos inscrevemos de forma despretensiosa e numa sexta-feira às 22h42, recebemos um email informando que havíamos sido selecionados para o Programa. Pensei e agora José, o que faço? Demos um jeito. Meu sócio colocou a equipe da empresa dele (de T.I) em home office por 4 meses e passou a se dedicar full time ao projeto. Nascia então a Hrestart.


Foram 4 meses de muita dedicação, eu me desdobrava em várias Cristianes (afinal eu ainda trabalhava na Ipiranga e meu sócio também tinha projetos na empresa dele pra entregar). Noites, madrugadas, feriados, finais de semana foram consumidos pela vontade de criar uma Hrtech. Afinal, eu tinha a experiencia de RH e ele de T.I, vemos isso como um diferencial. Pouco antes do demo day, depois de quase 20 anos de trabalho pedi demissão, pois percebi que de fato o projeto precisava de mais dedicação mas havia uma incerteza se eu me manteria no Rio de Janeiro (sim eu e meu sócio tínhamos convicção que SP seria melhor pra startup, afinal tudo acontece lá).


Participamos do Demo Day e naquele dia percebi que era isso que eu queria pra mim, me tornar uma empreendedora. Resgatar meus valores e todas as características que me moveram lá atrás quando eu tinha apenas 13 anos, me tornar aprendiz do mundo de negócios, liderar uma empresa, ter novas experiências e porque não ser uma profissional multi-carreiras. Desde setembro de 2018 tenho me dedicado fulltime à Hrestart, já são quase 8 meses de muitas horas de trabalho e estudos, sábados, domingos, feriados, madrugadas, abdicação de muita coisa, mas uma vontade de fazer acontecer, de ver o nosso propósito se tornar realidade.


Se vai dar certo? Não tenho essa resposta, mas posso garantir que estou resgatando meus valores, o brilho no olhar, o entusiasmo de aprender a cada 30 min algo novo, de compartilhar, escutar, e de fazer acontecer... hoje fazemos parte do time de startups residentes na sede da Fábrica no Brasil, que fica no Porto Maravilha no Rio de Janeiro. O que estou achando desse período ? Quais são minhas percepções, quais certezas, aprendizados, dificuldades....Ahhh isso é papo pra outro artigo ! Beleza?